links to this post

Ó pai, caaaaaaaaaaala-te

7 comments

Agora deu-lhe para cantar, imagine-se!

Ando eu arreliada por causa dumas coisas que me andam a acontecer lá na escola (antes que me encham a caixa de comentários com perguntas, são problemas com gajos, ok?), chego a casa com a cabeça em água, sem me apetecer fazer rigorosamente nada, sem apetite nenhum, sem querer tomar banho e o meu pai ainda se põe a cantar ao meu ouvido.

E eu juro que me passo com aquilo tudo. Ai que irrrrrritante!

O gajo pega-me ao colo, eu esperneio porque quero sair dali, mete-me numa banheira enorme, eu ali cheia de frio, às tantas leva-me para a cozinha, espeta-me colheradas e colheradas de comida pela goela abaixo, eu arrelio-me ainda mais.

Depois dá-lhe para se abraçar a mim, fico com o raio da minha cabecita prensada entre a sua mãos direita e aquela cabeçorra loura e, aqui é que eu me passo mesmo, começa a cantar.

Se fossem músicas porreirinhas ainda vá que não vá. Uma Madonna, uma coisa alegre, upa upa, bailadeira e tal. O gajo até sabe que eu de manhã gosto de ir para a escola a ouvir o Sorry e a abanar o capatece. Mas não, põe-se com aquela voz de bagaço a cantar cenas brasileiras do tempo da carochinha e mais ó caneco.

E custa-me ver a minha mãe, ali, impotente, sem poder fazer nada. Nem sai, nem desocupa a moita. Estou lixada com este gajo.

Ele que se cale, não é?


Fui catada

5 comments

Confesso, fui catada!

A minha mãe já andava a desconfiar. Eu passava a vida a falar dos meus coleguinhas da escola e punha sempre o seu nome à frente de todos. Era aquele que eu me lembrava primeiro. Mas gaita, mãe é mãe, não é? Pode saber destas coisas à vontade.

Hoje chego à escola com o meu pai, entro na sala e lá estava ele. Ainda o meu pai me estava a despir o casaco já eu estava a gritar pelo seu nome.

- Afonxxxxxxxxxoooooooooo!

Ele viu, mas não me ligou nenhuma. Continuou a jogar à bola com mais outros putos parvos.

Ai a gaita, pensei eu. Fui ter com ele, segurei-lhe num braço, dei-lhe um abraço, um molho de beijos e fomos os dois juntinhos para a janela ver as tartarugas.

Ooooohps! Com isto tudo esqueci-me de me despedir do meu pai. Fui catada!


Adormecer

2 comments

Gosto de adormecer com uma musiquinha de pano de fundo. Uma coisa calma e tal. Puro relax.

Sucede porém que o meu pai costuma por uns cd's com slows lá do tempo em que ele se andava a roçar às namoradas quando ía para as discotecas. E eu juro, a coisa resulta. Acalmo, fico ali a adormecer os meus manos.

Só me começo a passar porque às tantas o gajo tem lá nesses discos o inenarrável Lady in Red do Chris de Burgh e mais aquelas músicas melosas dos Foreigner. Agora digam-me: como é que eu não hei-de ter pesadelos?


Gregório

5 comments

Este Sábado fiquei o dia sózinha com o meu pai. E logo de manhã a coisa começou logo em beleza: fomos os dois passear para a Fábrica da Pólvora. Até aqui tudo bem, estava solinho, não chovia, tudo fixe, não é?

Mas algures em S. Marcos - um sítio lindíssimo, diga-se de passagem (blhaghhh!) - por causa do meu pai ter a mania que é o Fitipaldi, estava meio tonta, descuidei-me e fui ao greg. Já tão a ver o filme, não é? Aquilo tudo sujo, uma nojice dos diabos: casaco, camisolas, calças, botas, boneca, cadeirinha.

Bom devo aqui dizer que o meu cota foi impec. Acalmou-me os nervos, levou-me para casa - ainda voltei a vomitar no caminho - deu-me banho, lavou as roupas na banheira com detergente cheirosinho, etc

Mas como no melhor pano cái a nódoa. Estava já refastelada a almoçar, o gajo chega-se à minha beira com aquela coisas chatas do "dá cá um beijinho e tal" e às tantas eu começo a notar que ele estava com um cheiro esquisito no corpo. E pergunto-lhe: olha lá, ó meu tóne do caraças, que raio de cheiro é esse? Ele estranhou a pergunta, começou a cheirar os braços e o cabelo e só depois é que reparou que tinha tomado banho com Soflan.

Alguém que me rife o gajo, pá. Dah!!!!!!!!!!!


Groove

4 comments



Hoje quando ia para a escola, estava a dar na telefonia do carro do meu pai, o Don't give hate a chance dos Jamiroquai.

E lá começou o meu pai a abanar a cabeça, para cima e para baixo, a fingir que estava a dizer que sim. Como o gajo estava a fazer uma figurinha de totó, eu solidarizei-me com ele e comecei a abanar também a carola.

Às tantas, já estávamos os dois naquilo muito sincronizadinhos. Que bonito!

Mas verifiquei então que se aplica muito melhor àquela batida o balanço que as dançarinas do teledisco do Outside do George Michael - as que estão vestidas de mulher polícia - faziam, assim, de um lado para o outro.

Foi porreiro, estávamos muito groooooooove.

(se ele continuar assim, um dia levo o meu cota a sair comigo)


Bichinho amestrado

5 comments

Os meus pais andam numa fase que é fazer de mim um bichinho amestrado. E eu, tudo bem, alinho na coisa:

- o que é isto? perguntam eles
- é um memé. respondo eu. e eles ficam histéricos e tal, começam a bater palmas e a dizer iééeeee. Já não há cú para os aturar.

Depois têm a mania de me ensinar palavras: elefante, zebra, camelo, etc. A minha pergunta é: para que raio preciso eu de saber estas palavras? Quantas vezes vou eu ver estes bichos? Que utilidade é que esta informação terá no futuro. Não será melhor ensinarem-me a distinguir o lombo da alcatra?

E acrescento o seguinte: não seria melhor ensinarem-me coisas que eu preciso no dia a dia, como por exemplo, a utilização do comando da tv: a utilização do comando do dvd; onde estão guardados os biscoitos em forma de urso; como conseguir tomar medicamentos sem me arrepiar; como é que se cospe quando temos catarro, etc...


A ver vídeos com o meu pai

5 comments



- Ó pai, chega-me aqui num instante.
- Diz, filha.
- Não achas que este teu computador me faz as ancas um bocado largas? Já para não falar numa papada aqui no pescoço. Estou a ver coisas?
- ....

O parvo ficou-me calado. Tenho a certeza que não sou assim tão gorda. Não me digam que tenho de marcar consulta outra vez com o Ibérico Nogueira. Não, vou então falar com o Ivo Pitangui da próxima vez que for ao Rio. Assim sempre faço uma temporada em Angra. Puro relax.


Não há pedalada

5 comments



Pedi ao meu pai para me tomar conta da minha filhota loura. Tive de me ausentar por uns momentos, chego à sala e o gajo está-me a dormir com os butes em cima do sofá, a miúda em insegurança fora da sua cadeirinha - felizmente aninhou-se no colo do seu avô - e a televisão em altos berros.

Eu queria ver se fosse comigo. Já estão a ver o filme, não é?


Com a Vales e a Xença

7 comments

Quando os ouvi dizer, ontem à noite, que eu não podia ir para a escola hoje, porque ainda estava adoentada, confesso que comecei a esfregar as mãos de contente: iupiiiii, um dia inteiro em casa só para mim. Só quando o toininho do meu pai se ofereceu para ficar cá em casa a tomar conta de mim (mas estes gajos não entendem que eu já tomo bem conta do recado?) é que eu pensei logo para comigo: está o caldo entornado!

Imaginei logo grandes festas, não é? Telefonar para o pipal lá da escola para aparecerem e tal, vermos grandes fitas com o Noddy, os Little People e outros assim, bebermos só daquele leite com sabor a morango, comermos altas gulodices, etc. Cenas fixes, portanto!

Mas o meu pai.....

Adiante.

Ainda assim acabou por ser curtido. Pus o meu velho a fazer de educador infantil para as minhas bonecas (na verdade o gajo nem para auxiliar de educação vale, ok? quanto mais para educador... tche, ele que tire o cavalinho da chuva), brinquei com uns livros bem bacanos dos Little People, vi bué filmes do Noddy - imaginem só que o puto até tem um avião, pá. ai, comecei logo a sonhar que o gajo me levava a dar uma voltaça aqui pelas praias da linha, uiiiiii! -, ainda passei um conhé pelas brasas (estava cansadota de ter andado ao pé coxinho e às cambalhotas), foi bacano.




O mais fixe foi ter comido sentada à janela. Estava por lá uma gata (táta, como eu gosto de dizer) e passei o tempo a fazer bsh-bsh-bsh-bsh para ela olhar para mim e a gaja, nada. Nicles, não me ligou peva. Ainda tentei abrir a janela para ver se a gata me ouvia, mas o cota estava muito careta e pôs-se logo a dizer que o frio e tal..... ai!, nem lhe dei ouvidos. Com os nervos comecei num berreiro.



Nem me digam nada.

Mas pronto, acabei o dia a ver cenas do Noddy na net, videos e fotos antigas. Foi uma espécie de matiné de cinema. Deu direito a petiscar cereais e tudo.



Isto, claro, apesar do meu pai andar sempre em cima de mim. É que não me largava a braguilha, o tanso.



Maleitas

3 comments

Estou toda marada: febre, tosse, catarro, etc. Ainda pensei que fosse do pessoal lá no infantário andar a fumar à minha beira, mas só mais tarde é que percebi que não. Que lá, até é proibido fumar. Deve ser mesmo uma maleita qualquer.

Acho bem essa gaita que os crescidos inventaram de não podermos trabalhar enquanto não formos grandes. Acho mesmo bem. Até porque nem queiram saber as vezes que já teria faltado ao meu bules, desde que vim lá da maternidade. Volta e meia, tunga, lá vou eu para casa. Com este número de faltas, era certinho que o meu patrão já me tinha posto a dar de soleta lá do escritório. E a esta hora estava já nas filas lá do Centro Regional da Segurança Social a por os papéis para o fundo de desemprego.

Mas estou tranquila, é de maneira que sempre dou mais uma vista de olhos lá ao Noddy (que continua bom nas horas. ai quem me dera que ele me levasse a dar umas voltinhas no raio do descapotável amarelo...) e no programa do Malato!

Não se apoquentem.


Vingança

140 comments

Ontem foram-me por na cama. É claro, refilei. Queria uns carinhos da minha mãe e tal. Não me deram e deixaram-me ali sózinha. Fiquei em broa. Comecei a chorar e a soluçar e tal. Não me vinham atender. Fiquei piúrsa! Ai que nervos, pá!

O meu pai ainda veio com falinhas mansas e o caneco. Hipócrita de merda! Estava-lhe cá cum pó. Quando me pegou ao colo não me fiquei e vomitei-o todo.

Depois é que foi curtir. Ui, que cena maravilhosa. A minha mãe a mudar-me a cama, os gajos cheios de sono, ali de cu para o ar a limpar o chão.... Jóinha, mesmo.

E vou vos contar um segredo. O meu pai fica o máximo, em cuecas, de esfregona na mão ali a dar a dar. Que coisa esperta!

Eh, eh! Tadinho dele, até nos chinelos (foleiros, diga-se de passagem) tinha greg que eu lhe tinha mandado. Devem estar cá com um pivete! Ui!

Toma lá que já levaram.


Educação paternal

3 comments

Preocupa-me os programas de tv que os meus pais vêem. Ou é o telejornal onde as pessoas dos lares de idosos brincam aos senhores presidentes da república, ou são as guerras, ou são as claques que escavacam os popós dos senhores que tomam conta dos meninos que jogam à bola. Um inferno, um inferno!

E eu pasmo com os meus pais que passam horas em frente aquilo, sabem? Enquanto estou acordada ainda os controlo, puxo-os para verem o Noddy e os Little People que tem coisas engraçadas e educativas, não é?. Mas depois que me deito, sei lá! Sabe-se lá o que aqueles dois tolos se põem a ver.

Ando ralada com isto!


Miminhos

2 comments

Vejo que há papás e mamãs que se preocupam muito com o excesso de mimos e de colinho com que somos presenteados. Que depois nós crescemos e ficamos mal habituados e tal, não é? Concordo. É algo que também me preocupa. E pratico essa minha preocupação de uma forma activa.

Se não vejamos, a minha mãe vai me tirar da cama de manhã e começa logo "dá um beijinho à mãe". E eu, nada! Chego à cama deles e está o meu pai a ressonar que nem um porco. Sento-me ali ao seu lado e começa logo a abraçar-me e a pedir beijinhos com aquela boca cheia de mau hálito e eu, claro, nada!

No fundo estou a resguardá-los. É que depois habituam-se e não querem outra coisa.

A coisa tem de ser com calmex. Quando estão a fazer comida dou-lhes um abracito nas pernas e tal. Também para não se sentirem rejeitados, coitados. Mas sem abusos. Dussemã, ó ráite? (Nota do editor: doucement, all right?)


Mas afinal quem sou eu?

  • Eu sou a Cuca,
  • Moro na Alapraia,

Coisas que eu disse há coisa de nada

Coisas que eu já disse mas há já muito tempo

Outras pessoas que eu deixo morar lá em casa


ATOM 0.3